3:12 pm - segunda-feira setembro 9, 2013

Celulares com web são 55% das vendas

Os celulares com acesso à internet já são a maioria dos novos aparelhos vendidos no País. No primeiro semestre, segundo pesquisa da Nielsen, 55% dos telefones móveis vendidos permitiam navegação na web. Segundo Thiago Moreira, diretor de telecom da empresa, essa relação era de 49% no segundo semestre do ano passado.

Isso não quer dizer, porém, que a maioria das novas vendas se concentre em produtos de alto valor agregado, como o iPhone e o Samsung Galaxy S. Na verdade, embora as vendas de smartphones tenham mais do que dobrado nos 12 meses encerrados em 30 de junho, telefones que permitem o download de aplicativos e carregam sistemas operacionais como Android, iOS ou Windows só contribuem com 12% das vendas totais.

Para ter acesso à internet, o brasileiro se vê obrigado, por limitações de renda, a usar uma tecnologia intermediária, os chamados webphones. Esses aparelhos, que têm navegação na internet e acesso a e-mails e a redes sociais, representam 43% dos novos celulares vendidos no País.

Isso ocorre porque, como mais de 70% dos brasileiros têm linhas pré-pagas, só uma pequena parcela dos clientes pode ser fidelizada pelas operadoras com base no subsídio do aparelho. “Em mercados como o dos Estados Unidos, onde os smartphones já representam dois terços das vendas de novos celulares, o consumidor leva o aparelho quase de graça”, explica Moreira.

De qualquer forma, explica o especialista, o lançamento de planos de internet no pré-pago por preços próximos a R$ 15 por mês deverá dar ao consumidor ânimo de investir em um novo aparelho – seja um webphone ou um smartphone. “Acho que o consumidor chegou à conclusão de que não vale a pena ter mais um aparelho sem internet. Como nós financiamos o telefone, ele vê vantagem em pagar um pouco mais na parcela para ter um aparelho melhor”, diz Hilton Mendes, diretor de terminais e inovação da Telefônica/Vivo.

Em alta

Segundo operadoras e fabricantes, a participação dos webphones e smartphones nas vendas vêm crescendo mês a mês. A operadora TIM diz que 78% dos novos aparelhos que vende permitem o acesso à internet. A receita com aparelhos atingiu R$ 856 milhões no segundo trimestre, alta de 17% em relação ao mesmo período de 2011.

A queda nos preços dos smartphones pode incentivar o consumidor a deixar de comprar um webphone para ter acesso a um número muito maior de funções já incorporado aos smartphones “de entrada”, na opinião de Roberto Soboll, diretor de produtos de Telecom da coreana Samsung, líder de mercado no País. Ele afirma que o celular mais vendido em maio, segundo dados da GfK, foi o Galaxy Y, produto com o sistema Android que custa a partir de R$ 399 no varejo.

A LG também está ganhando mercado com produtos mais em conta. Depois de lançar smartphones de alto valor agregado no ano passado, a empresa democratizou sua linha com o L3, também equipado com o sistema operacional do Google, e com preço de varejo a partir de R$ 429. Também citando informações da GfK, a fabricante coreana diz que sua participação de mercado no Brasil em volume subiu de 6,7%, no primeiro trimestre de 2011, para atuais 15,5%.

Para a finlandesa Nokia, que viu sua posição mundial se enfraquecer ao demorar para embarcar na onda dos smartphones, o mercado de produtos de baixo custo é uma das saídas para reconquistar relevância. “Oferecemos soluções para incluir o público de orçamento limitado na internet pelo celular. Hoje, conseguimos entregar essa experiência (em webphones) por menos de R$ 200″, afirma Cesar Castro, executivo da Nokia.

fonte: Estadão

Redação: 8879-4021

movimentoperiferico_@hotmail.com

radialistajuliocesar12_@hotmail.com

 

Arquivado em: Economia, Geral, Vitrine

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário

*